Celebração de abertura do 20° Capítulo Geral

Uma celebração simples, recolhida, com o sabor de casa. Começa em 5 de setembro, às 9h30min, na capela da Casa Mãe das Irmãs Missionárias Combonianas em Verona. É presidida pelo Bispo de Verona, Dom Giuseppe Zenti, com Dom Barbolan Callisto, delegado Episcopal para a vida consagrada e Pe. Nicola Muratello, Secretário do Bispo. É a Eucaristia que abençoa o início do 20° Capítulo Geral e invoca luz e liberdade interior para as escolhas a serem feitas: escolhas vitais. A Direção Geral eleita em 2010 leva para o altar, com a vela do Capítulo, as Atas Capitulares de 2010, que guiaram os passos até hoje.

Uma celebração participativa cheia de significados: os nomes de cada Irmã das dezenove Circunscrições são levados para o altar, com as setenta e três línguas faladas pelas pessoas com quem vivem. Para “ousar a mística do encontro” precisamos, antes de tudo nos entender, no diálogo das diferenças. Por isso, além das cinco línguas da Congregação (italiano, inglês, espanhol, francês e português), tornam-se essenciais muitas outras línguas: árabe, swahili, lingala e tantas línguas vernáculas que possibilitam o encontro da vida cotidiana.

Os pedidos de perdão tocam os compromissos assumidos no Capítulo de 2010: não divagam. A Bíblia é recebida com a dança e o canto: “tudo passa, mas a Palavra de Deus permanece”. As leituras são cuidadosamente escolhidas, e Dom Zenti as aprofunda: a liberdade humana está em deixar-se guiar por Deus e serem enviadas às pessoas com “corpo, alma e espírito”. As sociedades humanas onde a dimensão espiritual é ressecada perdem o horizonte de sentido.

Em seguida, o juramento das Capitulares: “… Dá-me a sabedoria para ouvir e aceitar com humildade e  disponibilidade de coração as ações do Espírito”. O compromisso de exercer a responsabilidade é expresso com as impressões das próprias mãos que, no Capítulo, pedem a palavra, escrevem propostas, votam. Cada uma das cinquenta e duas Capitulares deixa a marca, também em solidariedade com as pessoas que, chegando em outro país, deixam sinais de identificação.

As Irmãs rezam para a Congregação e para o mundo e, no final da Eucaristia, saem da capela em procissão até a sala do Capítulo: a Palavra é levada pela Irmã mais jovem, Ir. Adanech Bizuneh Haile, a grande vela do Capítulo por Ir. Luzia Premoli, Superiora Geral, prestes a concluir o mandato; todas cantam a invocação ao Espírito Santo. Da capela cada Irmã recebe uma pequena vela, porque cada uma terá luzes para “acender” durante a preciosa partilha e reflexão do Capítulo.

Na sala, a Palavra de Deus tem um lugar central, ao lado de uma cruz etíope bonita, árvore da vida que floresce. O Bispo incensa e abençoa. É lida a declaração de abertura do Capítulo, e o tempo de graça inicia.

Pela primeira vez, a missa de abertura foi transmitida ao vivo: as novas tecnologias permitiram participar da celebração também os países distantes, isolados, em guerra ou as casas que acolhem irmãs idosas e doentes, … porque o Capítulo representa todas as Irmãs.

Share Button